sexta-feira, 12 de março de 2010

PLANEJAMENTO Anual 9° ANO

Plano de Ensino – Matemática: 9º ano

Plano de ensino anual


I- IDENTIFICAÇÃO

Centro Educacional Barreiros - CEB
9º ano
Matemática
Professores responsáveis: Michelsch João da Silva
André Borges Silva


II – JUSTIFICATIVA

A Matemática faz-se presente em diversas atividades realizadas pelas crianças e oferece aos homens em geral várias situações que possibilitam o desenvolvimento do raciocínio lógico, da criatividade e a capacidade de resolver problemas. O ensino dessa disciplina pode potencializar essas capacidades, ampliando as possibilidades dos alunos de compreender e transformar a realidade.
Uma das finalidades do ensino de Matemática indica, como objetivo do ensino fundamental, levar o aluno a fazer observações sistemáticas de aspectos quantitativos e qualitativos do ponto de vista do conhecimento e estabelecer o maior número possível de relações entre eles, utilizando para isso o conhecimento matemático (aritmético, geométrico, métrico, algébrico, estatístico, combinatório, probabilístico); selecionar, organizar e produzir informações relevantes, para interpretá-las e avaliá-las criticamente;


III – OBJETIVOS

*Geral
Identificar os conhecimentos matemáticos como meios para compreender e transformar a realidade a sua volta, bem como estimular o interesse, a curiosidade, o espírito de investigação e o desenvolvimento da capacidade para resolver problemas, tornando o aluno apto para enfrentar os desafios das séries seguintes.

*Específicos
 resolver problemas;
 compreender conceitos e procedimentos matemáticos;
 desenvolver formas de raciocínio matemático;
 desenvolver capacidade relativa à investigações matemáticas;
 estabelecer relações entre a matemática e outras áreas do conhecimento;
 comunicar-se usando linguagem matemática;
 manter uma relação positiva com o aprendizado matemático;
 valorizar o conhecimento matemático;
 desenvolver atitudes de respeito em relação às opiniões alheias, de troca construtiva de idéias e da cooperação;
 iniciar uma educação tecnológica;
 resgatar a história da matemática como uma ferramenta que auxilia no processo ensino-aprendizagem;

IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

*1º trimestre

01 – Conjuntos Numéricos: uma grande organização
1.1 – Organização dos números
- É natural, é inteiro, é irracional
1.2 – É irracional
- Os números reais

02 – Números: do micro ao macro
2.1 – Números escritos na forma reduzida
- potências de base 10 e sistema de medidas
2.2 – Sistema decimal de medidas
- sistema decimal de medidas de comprimento
- sistema decimal de medidas de área
- sistema decimal de medidas de volume
- sistema decimal de medidas de capacidade
2.3 – Potenciação
2.4 – Radiciação
- notação de radicais
- propriedades dos radicais
- simplificação de radicais
- operações com radicais
- adição algébrica de radicais
- multiplicação e divisão de radicais

03 – Álgebra e geometria
3.1 – Equação da álgebra
- equações incompletas do 2º grau
- fórmula para resolver equações do 2º grau
- estudo das raízes de uma equação do 2º grau
- equações do 2º grau com raízes conhecidas
3.2 – Equações biquadradas

*2º trimestre

04 – O X da questão
4.1 – Equações irracionais
- resolução de equações irracionais
- sistema de equações
- inequações

05 – Entre dois extremos
5.1 – Intervalos
- representação de conjuntos
- operações com intervalos
06 – Função tem função?
6.1 – O que são funções?
- relações e funções
6.2 – Representação de função
- domínio e imagem de uma função
6.3 – Grandezas e funções
- função do 1º grau ou função linear
- estudo do sinal de uma função linear ou do 1º grau

07 – Matemática tem função
7.1 – Funções, parábolas e outras coisas...
- parábolas e antenas de transmissão
7.2 – Cálculo algébrico das coordenadas do vértice de uma parábola e construção do gráfico da função do 2º grau
7.3 – Concavidade da parábola e seu ponto de máximo ou de mínimo
- zeros da função do 2º grau
7.4 – Análise do sinal da função do 2º grau

08 – Semelhanças e diferenças
8.1 – Parecido, mas não igual...
- figuras semelhantes e congruentes
8.2 – Semelhanças
- feixe de retas paralelas – Teoremas de Tales
- Teorema de Tales – enunciado
- Aplicação do teorema de Tales nos triângulos
8.3 – Triângulos semelhantes


*3º trimestre


09 – Um certo teorema: Pitágoras
9.1 – Entendo o teorema
- cálculos com o teorema de Pitágoras
9.2 – Descubra teoremas

10 – Razões dos triângulos
10.1 – Triângulos e distâncias
- polígonos regulares e trigonometria

11 – Polígonos regulares
11.1 – Triângulos equiláteros
- relações métricas no triângulo retângulo
11.2 – Quadrado
- relações métricas no quadrado
11.3 – Hexágono regular
- relações métricas no hexágono regular

12 – Rodas da vida
12.1 – Circunferência
12.2 – Comprimento da circunferência
- relação entre grau e radiano
12.3 – Círculo
- Área do círculo
12.4 – Setor e segmento circular

13 – Um mundo de formas retilíneas e arredondadas
13.1 – Sólidos geométricos
13.2 – Prismas regulares
- planificação e áreas
- volume dos prismas
13.3 – Cilindro
- planificação e áreas
- volume do cilindro

14 – Matemática por trás da informação
14.1 – Dados da pesquisa
- distribuição de freqüências em classe
- médias estatísticas
14.2 – Amostras


V – ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS

*Técnicas
 aulas expositiva e dialogada
 atendimentos e observações individuais e coletivas
 discussão de textos/artigos que resgatam a história da matemática
 utilização de material didático específico para determinadas aulas

*Recursos
 quadro e giz
 lousa digital
 artigos
 material impresso/xerocado
 cartolina/papel cartão, cola e tesoura
 Sala de informática/internet
 Apostila
 Projetos

VI – INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

Os instrumentos de avaliação serão diversificados:
 observações e registros realizados pelo professor das várias interações com os alunos
 trabalhos do aluno durante o ano letivo, incluindo suas anotações no caderno
 trabalhos e atividades individuais e em grupo
 avaliação/prova escrita individual/dupla e com/sem pesquisa
 nota de participação


OBS:
- o critério utilizado para fechamento da média trimestral, pode sofrer variações a cada trimestre, portanto será registrado no diário de classe.
- aluno com média trimestral igual ou superior a 6,5 tem a prova de recuperação trimestral como atividade facultativa.
- aluno com média trimestral inferior a 6,5 terá a prova de recuperação trimestral como atividade obrigatória. Para estes, a nota da prova de recuperação sendo superior a nota do trimestre, sua média será feita através de média aritmética:
-Caso a nota da recuperação seja inferior a nota do trimestre, despreza-se a mesma.
- será aprovado o aluno que somar, ao final dos três trimestres, 19,5 ou mais pontos.
- Para alunos que não somarem os 19,5 pontos, será feito prova de 2ª época. Para ser aprovado, o aluno terá que obter média anual 5,0, ou seja, será feita uma média anual do aluno e, a partir desta, o mesmo terá que tirar pontos suficientes na prova de 2ª época para somar 10,0 pontos: .





São José, 22 de fevereiro de 2010.






Professores Michelsch
André

4 comentários:

  1. Excelente Projeto Anual. Vai servir de referência para as minhas aulas.

    Abraços,

    Juciane

    ResponderExcluir
  2. Olá Professor André, gostei muito do seu projeto, pretendo aproveitar algumas sugestoes nele contidas para as minhas aulas!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom seu blog,excelente inciativa vai servir e muito como base nas minhas aulas de matematica.

    ResponderExcluir
  4. Simplesmente maravilhoso.. adorei o blog, me serviu muito e vai me servir mais ainda quando eu estiver estagiando pretendo me espelha um pouco nas suas referencias e conteúdo simples e fácil de ser compreendido ... abraço - Nunes Dias...

    ResponderExcluir